3 mistérios de marte + 1 surpresa

Marte, planeta vermelho, “Estrela de Fogo”, é o quarto planeta do sistema solar. Seu nome veio da Roma Antiga, mas vamos falar disso um pouco mais pra frente. Além do Império Romano, o planeta, visto de noite como uma estrela vermelha, também causou inquietação na Ásia antiga, quando foi chamado de “Estrela de Fogo”.

Nos últimos tempos, Marte ganhou os noticiários mundiais. O planeta voltou a ser uma obsessão humana. Temos o empresário Elon Musk que tem como ideal de vida colonizar o planeta a todo custo. 

A Nasa também está nessa história. A missão dos americanos começou em 1997, quando o robô Rover Sojourner foi enviado para atestar se conseguia andar em Marte. Em 2004, a agência mandou outros 2 Rovers, que provaram que o planeta já teve água circulando em sua superfície.

Em 2020, enviou para Marte o robô Rover Perseverance, que pousou no planeta em 2021, com o objetivo de descobrir se já houve vida por lá.

 

Perseverance pousou com segurança na Cratera Jezero, local escolhido a dedo. Isso porque cientistas acreditam que lá já foi um rio e teve um lago. Assim sendo, um local muito bom para examinar se houve vida ou não.

A última empreitada antes da publicação do nosso blogpost foi a de que a NASA estava procurando 4 voluntários para viverem no planeta vermelho. Eles terão de ser americanos e não fumantes, além de terem conhecimento científico.

Mas, afinal de contas, por que temos essa obsessão tão grande por Marte? Por que Elon Musk quer colonizá-lo? 

Óbvio que não temos a resposta. Porém, trouxemos algumas curiosidades sobre Marte que podem ampliar o seu horizonte sobre os mistérios da estrela vermelha.

Os 7 minutos de terror

Nessa animação da Nasa, podemos ver um pouco sobre o que são os 7 minutos de terror antes de pousar em Marte. 

Esse é o nome que os cientistas deram para o pouso do robô Perseverance, que chegou ao planeta em 18 de fevereiro de 2021. Isso porque, nesse espaço de tempo, o robô foi, em 7 minutos, de 19.500 km/h na atmosfera marciana para mais ou menos 3 km/h quando pousou sobre a cratera Jezero, no planeta vermelho.

 

 

Além disso, ao atravessar a atmosfera marciana, Perseverance teve que resistir a temperaturas de até 2.100°C. Tudo isso enquanto viajava encapsulado em uma caixa de duas partes que tinha um escudo traseiro e outro térmico.

Então, acaba por aí?

 

Não, ainda tem mais…

Quando estava a cerca de 11 km do solo de Marte, a espaçonave que o robô viajava o lançou por um paraquedas que reduziu sua velocidade de 2099 km/h para 320 km/h. Então, o seu escudo térmico se separou da tampa traseira deixando Perseverance cair no solo por um tempo curtinho. 

 

Depois disso,  foram  acionados 8 retrofoguetes que fizeram  a manobra “skycrane” (guindaste no céu). Só assim o nosso querido robô conseguiu descer lentamente com três cordas de náilon. Então, quando as rodas chegaram ao solo, ele pôde andar livremente em Marte.

Veja um vídeo super legal que explica o skycrane

Lembrando: Tudo isso em 7 minutinhos!

Marte foi a primeira fake news a bombar na mídia

A Guerra dos Mundos, de H.G Wells. Este foi o primeiro livro a tratar sobre marcianos invadindo a Terra. Foi nele que o povo de Marte ficou conhecido como figuras horrendas, do mal, além de mais inteligentes que os humanos. Além disso, a obra também foi a mãe da primeira grande fake news da história da humanidade.

Isso porque o livro ficou realmente conhecido, quando, na véspera do Halloween de 1938, a CBS transmitiu um drama narrado pelo cineasta e radialista Orson Welles, diretor do aclamado Cidadão Kane e outros longas. Segundo relatos da época, o povo entrou em frenesi, com alguns até acreditando que aquilo era verdade.

 

Porém, especialistas apontam que não foi bem assim. Alguns dizem que apenas algumas pessoas ficaram apavoradas. Entretanto, também há teorias que relatam que todo mundo percebeu que era uma “pegadinha” de feliz dia das bruxas.

Então, quer saber sobre a relação do livro com o   criador do primeiro foguete da história?

Marte é o pai do Cupido

A mitologia romana e a grega são muito parecidas. Historiadores afirmam que a relação entre os 2 impérios veio desde o século 12 a.C. Assim, várias tradições se misturaram, incluindo a dos deuses. Eles nasceram na cultura grega, que surgiu 1000 anos antes da romana.

Porém, apesar de a maioria dos deuses terem a mesma vocação, os romanos optaram por nomes diferentes que, depois, viraram nome de diversos planetas. Por exemplo, o “Zeus” romano se chamava Jupiter.

 

Marte é um guerreiro forte, impiedoso e sangrento. Filho de Júpiter e Juno, ele tinha uma irmã chamada Minerva. Minerva era mais diplomática e gostava de trabalhar os conflitos na base do diálogo. 

Então, podemos perceber que a relação dos irmãos não era a melhor possível. Na Guerra da Tróia, Minerva virou a casaca. Protegia os gregos, enquanto Marte ajudava os troianos que, depois do caso do cavalinho, perderam a guerra para os gregos.

marte

Apesar de sua crueldade, Marte se apaixonou perdidamente por Vênus, deusa do amor. Deusa do amor que era casada com Vulcano, fazendo de Marte seu amante. Foi deste relacionamento extraconjugal que nasceu Cupido e sua flecha do amor.

Outro ponto fundamental é que, para os romanos, Marte era seu descendente direto, já que Rômulo (aquele que junto com seu irmão Remo, bebeu leite da loba)  era filho de Marte.

Marte é o nome da primeira Favela 3D

Enfim, chegou a hora da surpresa.

Além de Roma, Robô ou Fake News, Marte agora é o nome de uma Favela.

E não é qualquer favela não!

Marte é o nome da Primeira Favela 3D (Digna, Digital e Desenvolvida), localizada em São José do Rio Preto (SP). O CEO da Gerando Falcões, Edu Lyra, esteve lá e contou tudo sobre Corrida Espacial, Campanha Favela X e Elon Musk.

Assim sendo, os moradores ficaram tão empolgados por fazer parte dessa história que decidiram trocar o nome de Vila Itália para Favela Marte.

Sim, a Gerando Falcões chegou em Marte antes de Elon Musk.

Em um Marte Digno, Digital e Desenvolvido, como vão ser todas as nossas Favelas 3D.

Seja nosso sócio e ajude a criar mais ” Favelas Marte!

corrida espacial

impacto social

 

Comentários